Nos últimos tempos o mundo da relojoaria tem estado de sentinela, pois o fenómeno dos smartwatch tem vindo a ganhar terreno ao produto de “relojoaria tradicional” (leia-se o que o grosso da população pode comprar).

A amplitude de funções dos smartwatch criou um autêntico “boom“, e existe produto de todas as qualidades , feitios e preços, claro está.

Para as marcas de “relojoaria tradicional” chamemos-lhe assim, é difícil por agora  combater o fenómeno que dia a dia ganha adeptos…miúdos e graúdos!

Completamente fora desta ” batalha ” temos as  marcas de alta relojoaria (para muitos de nós uma utopia) onde se inclui a marca de que vos falo nesta edição: BOVET!

Para muitos, um nome totalmente desconhecido, para os mais atentos talvez não, esta manufactura helvética produz anualmente um numero muito reduzido de verdadeiras obras de arte!

Apelidadas por muitos conhecedores como “alta joalharia” dentro do universo da relojoaria, a par de uma dúzia de marcas de renome do sector!

Como as imagens sugerem, os materiais são nobres e os preços acompanham a exclusividade que só alguns podem pagar… ainda assim todos temos o direito de sonhar!, por esse motivo escolhi a BOVET para me iniciar nesta aventura!

A BOVET, é uma das mais tradicionais e exclusivas manufacturas Suíças,com clientes um pouco por todo o globo, mas a maior fatia de mercado a fixar-se nos Emirados Árabes Unidos e na China, sendo que esta última é desde o século 19 um dos mais importantes consumidores dos produtos BOVET!

Os seus relógios são um expoente de qualidade e excentricidade, como o BOVET OttantaSei (86) que vem celebrar o 86º aniversário da famosa casa de alta costura automóvel  Pininfarina, pela qual foi desenhado!

É um elegante relógio com dupla faceta, pois pode ser usado como um tradicional relógio de bolso, e facilmente se converte em relógio de pulso. Esta característica é herdada de outros modelos da BOVET.

Utiliza um calibre “Full Skeleton” (recortado para ser o mais transparente possível)  designado: 17BM03MM a 2Hz (18000 BPH) com turbilhão flutuante de corda manual.

Esta obra de engenharia tem uma larga autonomia de 10 Dias com uma única “carga” feita da forma que as gerações mais novas por vezes desconhece…manualmente!

Tem o Power Reserve que não é mais que um indicador de autonomia e utiliza como material principal na sua construção o Titanium, a fim de reduzir ao máximo o peso dos componentes.

A casa que alberga este movimento pode ser de titanium/DLC Black ou em ouro rosa 18k! Por fim dizer que a sua produção está reduzida a 86 peças… por isso corram antes que seja tarde! Afinal, Sonhar alto (de vez em quando) não faz mal a ninguém!

Tiago Silva

Talvez também queira ler...

Geração Mazda3 2017 chega a Portugal

Com míseros 11 kms no odómetro e dotado