O Volvo XC40 T3 é uma lufada de ar fresco no segmento dos SUV com um look jovem, que a BuzzMag teve oportunidade de ensaiar.
Apresenta-se com as dimensões certas para o dia a dia na cidade e não se nega nas saídas mais longas, onde o conforto que encontramos nos bancos da frente com múltiplas regulações é parte integrante do segredo que permite chegar ao destino, sem acusar a fadiga.

A partir do lugar do condutor, o Volvista irá encontrar um volante com as medidas e assistência adequadas, um ecrã multi-funções muito intuitivo e de fácil navegação e com acesso a múltiplas configurações. Os grandes botões do volante, são de fácil acesso permitindo inclusive a boa utilização para quem conduza por terras onde as temperaturas sejam mais frescas, com luvas grossas de neve.

O sistema de ar condicionado permite respirar ar limpo no interior independentemente da qualidade do ar no exterior do veículo. Esta inovação da Volvo recorre a um filtro de ar que reduz o nível de poeiras, pólen e outras partículas nocivas. Fecha automaticamente as entradas de ar do veículo e comuta para recirculação de ar, se necessário.
Esteticamente as grandes grelhas de direccionamento de fluxo de ar, não são totalmente do nosso agrado, mas cumprem integralmente a sua função de direccionar e regular com eficácia o fluxo de ar dentro do XC40.

A habitabilidade do Volvo XC40 é excelente, dispondo de um generoso espaço para 4 adultos, no entanto os passageiros de trás, terão que se conformar com uns bancos demasiado direitos e que invariavelmente trarão alguma fadiga em deslocações maiores.
A enorme bagageira, com acesso através de um portão de abertura eléctrica, dispõe de múltiplas configurações permitindo dividir ou ampliar a sua capacidade. As costas dos bancos traseiros podem ser rebatidas com o simples pressionar de um botão disponível na bagageira.

No capitulo de especificações técnicas, ao ler a ficha com os detalhes de motor, ficamos decepcionados por ver um três cilindros como unidade motriz, no entanto e apesar de se fazer notar a sonoridade típica destes motores, o excelente isolamento da baía do motor para dentro do habitáculo, bem como o excelente escalonamento do turbo em conjunto com a caixa manual de seis velocidades (também disponível com caixa auto de 8 Vel.), rapidamente nos faz esquecer esse detalhe. O XC40 apesar das suas mais de duas toneladas, mexe-se muito bem logo desde as baixas rotações, não requerendo, como em outras viaturas de outras marcas, uma constante utilização da caixa de velocidades e um pé mais pesado com implicações directas no consumo.

Estes motores de 3 cilindros, apelidados de “Drive-E”, fazem parte de um desenvolvimento “in-house” dos blocos de 4 cilindros, turbo assistidos, com uma capacidade de 1.5L (1477cc) e dispõem de uma potência de 156 CV (os novos em venda já têm actualmente uma potencia de 163 CV) e um binário de 265 Nm disponíveis desde muito cedo e que culminou com uma média geral do ensaio em circuito misto de 8,4L/100Kms. As versões electrificadas estão previstas para um futuro breve e serão uma mais valia.

 

Nível de Equipamento: R-Design TechEdition
Caixa de Velocidades: Manual 6v.
Cor: Branco Cristal Inscription(1.371€)
Estofos: Couro NappaCarvão
Jantes: 18” com pneus 235/55 R18

Packs:
Mirror(455€)
VersatilityPro (1.058€),
XeniumR-Design (1.894€),
Total dos packs: 3.407

Opcionais:
Alarme (492€),
Pneu sobressalente temporário (98€)
Total dos opcionais: 590

Preços:
– Base XC40: 35.000€
– Base T3 R-Design: 41.925€
– Versão ensaiada: 47.294

Artigos relacionados

Talvez também queira ler...

Toyota RAV4 HSD

A Toyota continua a apostar no binómio eléctrico-combustão