O objectivo proposto para este ensaio foi superado!
Uma viagem pelo interior e verificar em que medida os níveis de ansiedade iriam tomar conta da viagem.
Com recurso às ferramentas online, como o “a better routeplanner” e “miio” desenhamos o trajecto, com alguns pontos de passagem obrigatórios e alguns objectivos definidos, como jantar em Portalegre.

Saímos de Lisboa em direcção a Évora, sempre por estradas nacionais, saindo da ponte Vasco da Gama, Montijo, Vendas Novas, Montemor o Novo e onde chegamos a Évora com o objectivo de repor a bateria até aos 100% de modo a seguir sem preocupações até Portalegre. ( esta reposição seria desnecessária mas a ansiedade assim o ditou )

A viagem foi feita em ritmo de passeio até ao primeiro abastecimento, tendo chegado com cerca de 65% de carga disponível.
A nossa primeira escolha foi o posto de abastecimento da repsol, mas deparámo-nos com o posto ocupado e fomos procurar outro, tendo o posto do lidl sido o escolhido por se encontrar completamento vazio e pudemos optar pela interface ccs que permite velocidades de carga mais rápidas (até 50 kW/h), se bem que no caso o limite fosse a viatura ( 44 kW/h ).
O primeiro contratempo foi perceber que o posto estava bloqueado e quando nos lembramos de contactar o suporte, lá conseguimos colocar o Hyundai à carga, graças à rápida e eficaz intervenção do técnico remoto.
Aproveitamos a hora que nos estimava o carro para completar a carga, para procurar um restaurante ali na área e surgiu a oportunidade, fruto de uma desistência de última hora, de acomodar dois comensais no restaurante “o moinho do cu torto“. Ainda a refeição não tinha entrado nos pratos principais e já a viatura estava carregada, o que obrigou a uma deslocação para libertar o posto e para poder depois almoçar descansado.

Depois do almoço, rumámos ao Redondo e fomos visitar uma Herdade onde a tarde se passou rapidamente à conversa com os proprietários.
Tínhamos planeado também visitar Estremoz com uma paragem para esticar as pernas e ver as vistas, mas face ao avançado da hora, seguimos directo para Portalegre em ritmo mais apressado.

Chegados a Portalegre com 60% de bateria e o único posto rápido que identificamos estava ocupado e procuramos um outro, bem mais lento, mas que para o caso deu para deixar o carro a carregar sem a preocupação que tivemos ao almoço… ou seja.. fomos jantar nas calmas no restaurante “Sal, Alho e etc” e quando voltamos ainda faltavam 15 minutos até a carga total.

Eram 22:30 e saímos de Portalegre, rumo a Lisboa, via Ponte de Sôr, Alcochete e Vasco da Gama, tendo chegado a casa por volta da uma da madrugada com mais de 30% de carga e cerca de 110 kms de autonomia.


Na prática e por desconhecimento das condições de carga em Portalegre optamos por carregar em Évora apenas por segurança. A autonomia do Hyundai era suficiente para carregar apenas uma vez em Portalegre.
As cargas obrigam a uma melhor gestão do tempo e desde que não estejam com muita urgência em efectuar viagens prolongadas a viatura eléctrica cumpre com eficácia, conforto e silêncio, contribuindo para que os passageiros não se sintam fatigados e cheguem as destino como se de uma pequena viagem se tratasse.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Talvez também queira ler...

The Barghest Motive

Maquinas Brutais e únicas é a melhor descrição